• Juliana Pestana

Ancestralidade - De onde você vem?

Atualizado: Mai 23




Se você pudesse decodificar seu código genético e descobrir cada ser humano que contribuiu para a formação do seu DNA? E se nessa busca você pudesse fazer uma viagem no tempo e se deparar com a realidade de seus ancestrais?


Aproveitando que a oportunidade está mais fácil de obter, a coluna sobre tecnologia do Portal UOL Notícias, Tilt, distribuiu testes genéticos para 20 personalidades brasileiras para que elas pudessem descobrir qual região do mundo originou seus materiais genéticos.


Na matéria disponível na internet, foram analisados os códigos genéticos do vereador paulistano Fernando Holiday à ex-ginasta olímpica Daiane dos Santos, e do sambista Péricles às jornalistas Maju Coutinho e Aline Midlej e às escritoras Conceição Evaristo e Eliana Alves Cruz, e é unanimidade: conhecer suas origens há tanto esquecidas transmite uma sensação incomparável de pertencimento.


Afinal, o Estado brasileiro fez questão de arruinar as histórias daqueles que se autodeclaram negros, ou seja, 56% dos brasileiros possuem um passado desconhecido. Propositalmente uma forma de esfalecer suas memórias a história. Porém, resistimos. Temos nas nossas veias uma lembrança difícil de apagar: aquela transmitida de geração em geração no genoma de cada ser humano.


O estudo é feito após a coleta do DNA através da saliva, e, isolado por meio de reações químicas feitas por robôs. Após uma compilada análise matemática os resultados indicam qual a porcentagem do genoma de alguém se assemelha a perfis genéticos de bancos ao redor do mundo.

Para algumas pessoas, o teste de DNA comprovou aquelas certezas sem provas que há tempos circulavam na família. Com 51% de seu material angolano, a ginasta Daiane dos Santos comprovou o que sempre ouvira de sua avó, mas que nunca houve justificativa.

E você ficou curioso? Faria um teste de ancestralidade? Qual seria sua expectativa? Conte para a gente. Nós do Projeto Palmares vivemos no presente sem esquecer do passado, pois acreditamos que resistimos através do tempo e jamais vamos deixar que apaguem nossas memórias.


3 visualizações0 comentário